Ir para o conteúdo principal

Blog


O jeito certo de preparar saladas de pote

O jeito certo de preparar saladas de pote

Você já deve ter visto esse tipo de salada por aí, não é? Algumas são servidas em restaurantes e outras por serviços de entrega que contam até com assinaturas semanais e mensais. Por preocupação com a saúde ou apenas gosto pessoal, cada vez mais pessoas têm incluído saladas em sua rotina de alimentação. Mas, quanto mais incrementadas, mais tempo elas demandam em sua preparação, e é aí que entram as saladas armazenadas em potes.

São saladas comuns, sem necessariamente algum ingrediente diferente: são folhas, outros tipos de legumes, algum molho e/ou sementes – algumas pessoas acrescentam pedaços de carnes para reforçar. Tirar alguns minutos de um momento de folga e preparar as saladas da semana, separando-as em porções individuais para cada dia, é uma grande ajuda para sua saúde e administração de seu tempo. A salada é colocada no pote em camadas (que você pode chacoalhar e comer direto do recipiente ou servir em um prato) e a ordem indicada é essa:

Primeira camada: molhos e temperos.

Segunda camada: legumes mais pesados (como cenoura, pepino, abacate). Caso acrescente pedaços de carne, coloque-os aqui também.

Terceira camada: legumes mais leves (como brócolis e tomate).

Quarta camada: vegetais folhosos (como alface e agrião).

Quinta camada: sementes (chia, linhaça, quinoa, etc.).

Antes de cortar os ingredientes, lembre-se de lavá-los bem e também secá-los, pois molhados tendem a estragar mais rápido. As saladas com proteína animal (carnes bovinas, frango e atum são as mais utilizadas) duram até dois dias e as que contam apenas com vegetais duram até cinco dias. O armazenamento deve sempre ser feito na geladeira, carregue em uma bolsa térmica se for o caso. Potes de vidro são os mais indicados por não “ficarem marcados” com cheiro e gosto, mas caso você não utilize molhos ou carne, o pote de plástico pode servir.

Fontes:
Catraca Livre
Revista Cláudia

Comentários