Ir para o conteúdo principal

Blog


É verdade: cultivar ódio faz mal para a saúde

É verdade: cultivar ódio faz mal para a saúde

Uma famosa citação do poeta inglês George Lord Byron diz que “Os homens amam com pressa, mas odeiam com calma”. Essa constatação, embora não seja uma regra absoluta, ilustra uma tendência que muita gente possui de armazenar em si sentimentos ruins em detrimento dos bons. O que essas pessoas podem não saber é que cultivar o ódio pode realmente prejudicar a saúde.

Quando estamos com raiva ou estressados o organismo libera mais cortisol, um hormônio que ajuda nosso organismo a controlar o estresse, reduzir inflamações e contribui para o bom funcionamento do sistema imunológico. Em excesso, no entanto, o cortisol pode provocar aumento de peso, elevação da pressão arterial e dos níveis de açúcar no sangue, levando ao diabetes e até a osteoporose.

Outro ponto importante é que o aumento do cortisol encurta os telômeros, que são as pontas do DNA responsáveis por transportar os códigos genéticos no núcleo das células. E quando estes telômeros encurtam, o corpo envelhece mais rápido, segundo estudos.

Não se trata de suprimir sentimentos (porque isso também é ruim), mas de buscar resolver e superar aquilo que é nocivo, em vez de ficar armazenando. Não somos máquinas cujos arquivos de memória podem ser deletados a qualquer tempo, mas podemos e devemos buscar recursos para não deixar nossa saúde física e mental se deteriorar. Acompanhamento profissional, prática de exercícios físicos, boa vida social e alimentação de qualidade são fatores que ajudam nesse processo.

Fontes:
Drauzio Varella
Estadão

Comentários